Header Ads

Josias: A Coragem Para Restaurar

Josias: A Coragem Para Restaurar
A restauração aconteceu nos dias de Josias, rei de Judá. Ele procurou restaurar as práticas da Lei de Moisés que tinham sido abandonadas.

"Então o rei deu ordem, e todos os anciãos de Judá e de Jerusalém se ajuntaram a ele. Subiu o rei à casa do Senhor, e com ele todos os homens de Judá, todos os habitantes de Jerusalém, os sacerdotes, os profetas, e todo o povo, desde o menor até o maior; e leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro do pacto, que fora encontrado na casa do Senhor”.

"Então o rei, pondo-se em pé junto à coluna, fez um pacto perante o Senhor, de andar com o Senhor, e guardar os seus mandamentos, os seus testemunhos e os seus estatutos, de todo o coração e de toda a alma, confirmando as palavras deste pacto, que estavam escritas naquele livro; e todo o povo esteve por este pacto" (2 Reis 23:1-3).

Um esforço começou no século XIX nos Estados Unidos para restaurar a igreja do Novo Testamento. Esse esforço era e é chamado de Movimento de Restauração. Era um chamado para que as pessoas deixassem as igrejas dos homens e abandonassem os credos dos homens.

Os restauradores encorajaram as pessoas a seguirem as Escrituras como sua única regra de fé e prática, então se unirem somente à palavra de Deus. Não é fácil abandonar o que se ensinou ou deixar aqueles com quem se teve comunhão. Mas muitos fizeram. O exemplo de Josias nos ajuda a ver como podemos ter a coragem de restaurar tudo o que pode faltar em nosso serviço a Deus.

O contexto

Josias tornou-se rei quando tinha apenas oito anos (2 Reis 22:1). O que teria que acontecer para que um menino se tornasse rei? Aconteceu algumas circunstâncias incomuns. Primeiro, seu pai foi assassinado (2 Reis 21:23). Então o povo, ao invés de submeter-se aos supostos usurpadores do trono, rebelaram-se contra os conspiradores, os mataram e fez o jovem filho de Amon rei em seu lugar (2 Reis 21:24).

Josias não tinha uma educação ideal. Além do fato de que seu pai foi morto quando tinha oito anos, seu pai "fez o que era mau aos olhos do Senhor" (2 Reis 21:20-22). Seu avô, Manassés, era extremamente malvado - até o ponto de sacrificar seu filho como holocausto a um deus pagão (2 Reis 21:2-6). Ele era tão malvado que apesar das reformas de seu neto Josias, Deus ainda destruiu Judá "por causa de todas as provocações com que Manassés o provocara" (2 Reis 23:26). Josias não tinha o tipo de educação que tenderia a produzir fidelidade em uma idade tão jovem.

Apesar de tudo isso, Josias tinha um bom coração. Ele estava interessado em coisas espirituais, o que o levou a reparar a casa do Senhor (2 Reis 22:3-7). Seu terno coração o fez receptivo à Palavra de Deus e inclinado a obedecê-la (2 Reis 22:19; 23:25).

No entanto, a nação tinha se afastado da verdade. O livro da lei tinha sido perdido (2 Reis 22:8-10) e, portanto, não tinha sido guardado (2 Reis 22:13). A Páscoa tinha de ser reinstituída (2 Reis 23:21-23). Os ídolos, médiuns e espíritas tinham que ser removidos da terra (2 Reis 23:24). O pecado e a imoralidade foram difundidos - incluindo a presença de "prostitutas do culto masculino" e sacrifícios de crianças (2 Reis 23:7, 10).

Porque foi preciso coragem?

A nação tinha um longo caminho a percorrer para retornar ao Senhor e Seus caminhos. Por isso, Josias precisava de coragem para restaurar as práticas que Deus ordenou e a pureza que Ele exigiu de Seu povo.

Primeiro, Josias precisava mudar. Embora se pudesse facilmente argumentar que Josias era melhor do que a maioria dos outros, ele precisava voltar para o Senhor também. O livro da lei de Deus havia sido perdido (2 Reis 22:8-10). Portanto, ele - assim como a nação como um todo - precisava corrigir os pecados que eles haviam cometido na ignorância.

Segundo, Josias teve que combater a tradição. No momento em que o livro da lei foi encontrado, as práticas errôneas que existiam na terra estavam acontecendo há algum tempo - algumas datavam do reinado de Salomão (2 Reis 23:13). Muitas vezes é difícil combater a tradição - mesmo quando está errada - porque as pessoas se acostumam a ela e aprendem a tolerá-la.

Terceiro, Josias teve que ir contra o que sua família tinha feito. Tanto seu pai quanto seu avô eram homens maus (2 Reis 21:1-2, 19-20). Em vez de seguir seus passos, ele precisava observar seus pecados e "não fazer o mesmo" (Ezequiel 18:14).

Quarto, Josias teve de se opor aos propagadores do erro. Não se tratava apenas de Josias decidir mudar de vida. Ele teve que montar uma verdadeira oposição contra pessoas reais. A verdade é muitas vezes mais fácil de aceitar na teoria do que na prática - particularmente quando se trata de se opor àqueles que são os inimigos da verdade.

Em quinto lugar, Josias teve de submeter-se a uma lei superior. Ele era o rei, mas ele não estava acima da lei - especialmente a lei de Deus. Alguns governantes acreditam que eles são a autoridade final. Mas Josias reconheceu sua responsabilidade de fazer o que todos devem fazer - obedecer a Deus (Salmo 72:11).

Josias teve coragem

Josias sabia o que era certo. Depois que o livro da lei foi encontrado, Safã, o escrivão, "o leu na presença do rei" (2 Reis 22:10).

Josias compreendeu o benefício de restaurar as práticas da lei de Deus. Ao ouvir as palavras da lei, Josias reconheceu o estado da nação: "... porque grande é o furor do Senhor, que se acendeu contra nós, porquanto nossos pais não deram ouvidos às palavras deste livro, para fazerem conforme tudo quanto acerca de nós está escrito" (2 Reis 22:13). A lei de Deus continha bênçãos pela obediência e maldições pela desobediência (Deuteronômio 28). Ele sabia que seria melhor para o povo servir ao Senhor e receber Suas bênçãos.

Depois de aprender a verdade, Josias agiu. Ele "fez um pacto" para guardar a lei (2 Reis 23:3), então obedeceu a lei e realizou as reformas necessárias. "Ora, antes dele não houve rei que lhe fosse semelhante, que se convertesse ao Senhor de todo o seu coração, e de toda a sua alma, e de todas as suas forças, conforme toda a lei de Moisés; e depois dele nunca se levantou outro semelhante" (2 Reis 23:25).

Aplicação para nós

À medida que buscamos restaurar (ou manter) o serviço fiel a Deus, devemos aprender com o exemplo de Josias.

Primeiro, devemos estar dispostos a mudar quando necessário. Ninguém é perfeito. Paulo lembrou-nos disto quando disse: "Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Romanos 3:23). Mesmo os cristãos podem estar errados, como Pedro (Cefas) "foi confrontado" por seu pecado (Gálatas 2:11). Quando estamos errados, precisamos nos arrepender - se isso significa repudiar o pecado em nossas vidas individuais (Atos 8:20-22) ou corrigir erros na congregação com a qual adoramos (Apocalipse 2:4-5).

Em segundo lugar, não devemos nos permitir ser escravizados pela tradição. Embora a palavra tradição em relação a assuntos religiosos carrega uma conotação negativa imediata com alguns, nem todas as tradições são erradas. Paulo disse aos irmãos em Tessalônica: "Assim, pois, irmãos, estai firmes e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa" (2 Tessalonicenses 2:15). Mas devemos abandonar as tradições dos homens que são contrárias à lei de Deus (Mateus 15:6-9) - não importa quanto tempo nós ou aqueles antes de nós guardaram a tradição.

Terceiro, não devemos colocar a família acima de nosso serviço a Deus. O Senhor deve vir primeiro em todas as coisas. Jesus disse: "Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim" (Mateus 10:37). Seguir Cristo às vezes nos colocará em desacordo com aqueles que estão mais próximos de nós nesta vida. É difícil ver esses laços ameaçados. Mas é muito pior ser "separado de Cristo", pois isso significa que "caímos da graça" (Gálatas 5:4).

Em quarto lugar, devemos estar dispostos a nos opor ao erro. Isto significa que devemos nos opor àqueles que promovem o erro: "Rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles" (Romanos 16:17). Isso também significa que devemos nos opor àqueles que praticam o erro: "mandamo-vos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebestes" (2 Tessalonicenses 3:6). Muitos preferem o caminho do compromisso em sua tentativa de ser mais tolerantes do que Deus. Devido a isso, iremos muitas vezes enfrentar a oposição, não apenas dos que promovem o erro, mas de irmãos fracos que se simpatizam com eles.

Em quinto lugar, devemos nos submeter a uma lei superior. O rei Josias certamente não estava isento da lei de Deus. Nós também não. Jesus tem "toda autoridade" (Mateus 28:18). Portanto, devemos "fazer tudo em nome do Senhor" (Colossenses 3:17). Ele salvará "todos os que O obedecem" (Hebreus 5: 9). Portanto, devemos estar certos de que estamos de acordo com Seu critério de julgamento (João 12:48).

Conclusão

Quando Josias encontrou o livro da lei de Deus e descobriu que a nação não estava guardando Seus mandamentos, ele poderia ter escolhido ignorá-la. Ele poderia ter dado preferência à tradição, aos laços familiares e à harmonia artificial que vem através do compromisso religioso. Em vez disso, ele escolheu se juntar a Deus e restaurar as práticas e a pureza de serviço de acordo com Sua lei.

Devemos ter a coragem que Josias teve de olhar com honestidade e humildade a palavra de Deus. Se acharmos que temos falhado em certas áreas, devemos fazer todas as correções necessárias. Se estamos seguindo o padrão divino em outras áreas, devemos manter nosso serviço fiel e não se "desviar para a direita ou para a esquerda" (2 Reis 22:2).

Você deseja ser um pregador? Preparar seus próprios sermões? Tenho uma grande novidade para você!

Kit Curso Pregador Completo! Como preparar sermões e pregar a Bíblia! Conheça as ferramentas e técnicas para se tornar um exímio pregador e um orador eficaz!

Se você deseja um curso prático para se tornar um grande Pregador, terá à disposição um excelente material! Clique Aqui para adquirir seu kit.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.