Header Ads

Moisés: A coragem de liderar

Moisés: A coragem de liderar
Moisés foi escolhido por Deus para tirar os israelitas da terra do Egito. No início, ele estava hesitante em fazer isso. Mas no final, Moisés obedeceu ao Senhor, se levantou contra Faraó, e tirou o povo da escravidão e para a terra prometida.

"Então disse o Senhor: Com efeito tenho visto a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheço os seus sofrimentos; e desci para o livrar da mão dos egípcios, e para o fazer subir daquela terra para uma terra boa e espaçosa, para uma terra que mana leite e mel; para o lugar do cananeu, do heteu, do amorreu, do perizeu, do heveu e do jebuseu. E agora, ei s que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim; e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. Agora, pois, vem e eu te enviarei a Faraó, para que tireis do Egito o meu povo, os filhos de Israel" (Êxodo 3:7-10).

Muitas vezes associamos líderes com papéis de liderança (maridos, empregadores, generais, presidentes, anciãos, etc.). Mas podemos liderar sem uma posição oficial de liderança. A liderança pode ser exercida através de uma posição, palavras, ações e influência. Nós lideramos dirigindo outros para o caminho que devem ir e mostrando lhes como fazer o que é correto. Existem maneiras em que cada um de nós pode liderar dentro dos papéis que ocupamos (na igreja, em casa, no local de trabalho, na sociedade, etc.). Mas é preciso coragem para fazê-lo. Moisés é um exemplo de alguém que teve a coragem de liderar.

O contexto

Os filhos de Israel estabeleceram-se no Egito para sobreviver à fome (Gênesis 45:5-8; 47:11-12). Graças a José (Gênesis 47:11-12) - com a ajuda de Deus (Gênesis 45:5, 7) - eles prosperaram. "Assim habitou Israel na terra do Egito, na terra de Gósen; e nela adquiriram propriedades, e frutificaram e multiplicaram-se muito" (Gênesis 47:27).

Tudo isso aconteceu enquanto Faraó pensava muito em José (Gênesis 41:39-45; 45:16-20). No entanto, eventualmente "surgiu um novo rei sobre o Egito, que não conhecia José" (Êxodo 1:8). Ele viu os israelitas como uma ameaça (Êxodo 1:9-10), então ele tentou mantê-los sob seu controle, tornando "a vida deles amarga com o trabalho duro" (Êxodo 1:11-14).

Contudo, Deus estava com os israelitas e os abençoou (Êxodo 1:12). Ainda assim, a opressão era severa. Eles "clamaram" e "Então Deus, ouvindo-lhes os gemidos, lembrou-se do seu pacto com Abraão, com Isaque e com Jacó. E atentou Deus para os filhos de Israel; e Deus os conheceu" (Êxodo 2:23-25). Então Ele planejou libertar os israelitas da escravidão (Êxodo 3:7-9). Ele escolheu Moisés para liderá-los (Êxodo 3:10).

Por que isso foi preciso coragem?

Quando consideramos o exemplo de Moisés, podemos encontrar cinco razões pelas quais precisou coragem para ele tirar o povo do Egito.

Primeiro, Moisés não aspirava liderar. Algumas pessoas são líderes naturais. Outros simplesmente querem liderar. Moisés não era assim. Quando Deus o chamou para liderar, ele tentou inventar desculpas para não ter que fazê-lo. Ele se via incapaz de enfrentar Faraó (Êxodo 3:11). Temia que os israelitas não o escutassem (Êxodo 4:1). Ele afirmou ser um orador pobre (Êxodo 4:10). Finalmente ele disse: "Ah, Senhor! envia, peço-te, por mão daquele a quem tu hás de enviar" (Êxodo 4:13). Ele queria que Deus enviasse alguém além dele.

Segundo, Moisés teve de enfrentar oposição. Ele primeiro teve que enfrentar Faraó - o líder da nação mais poderosa na terra naquela época (Êxodo 3:11; 5:1-2). Em um ponto Faraó ameaçou matá-lo (Êxodo 10:28). Quando Moisés finalmente tirou o povo do Egito, Faraó e seu exército os perseguiram (Êxodo 14:9). Se isso não bastasse, ele também enfrentou a oposição de seus irmãos (Êxodo 5:20-21), de Miriã e Aarão (Números 12:1-2), e de Coré e seus aliados (Números 16:1-3).

Terceiro, o povo muitas vezes não queria seguir. Quando Faraó os perseguiu, eles disseram: "Foi porque não havia sepulcros no Egito que de lá nos tiraste para morrermos neste deserto? Por que nos fizeste isto, tirando-nos do Egito? Não é isto o que te dissemos no Egito: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto" (Êxodo 14:11-12). Este não foi o único momento em que os israelitas desejavam nunca terem deixado o Egito (Êxodo 16:3, 17:3; Números 11:5-6, 14:2-3). Em determinado momento, eles queriam mesmo "nomear [outro] líder e retornar ao Egito" (Números 14:4).

Em quarto lugar, Moisés teve de guiar o povo sem conforto, segurança e prosperidade. Moisés estava tirando-os da escravidão para um estado de liberdade e bênçãos de Deus. Isso pode parecer que não seria difícil convencer as pessoas a seguir para isso, mas foi - exigia uma fé forte em Deus e um firme senso de responsabilidade pessoal. As pessoas muitas vezes aceitam a opressão se essa lhes permite ser dependentes. Foi o que aconteceu com os israelitas. Apesar de serem duramente oprimidos pelo Faraó, preferiram "servir os egípcios" (Êxodo 14: 2), se isso significava que eles podiam comer "pão em abundância" (Êxodo 16:3, Números 11:4-6). Moisés teve de afastá-los da comida gratuita fornecida por seus líderes opressivos às bênçãos fornecidas pelo Deus do céu.

Em quinto lugar, Moisés tinha de liderar no caminho certo. Ele não devia ser um líder opressivo como o governante do Egito - embora em algum momento de sua vida ele estivesse potencialmente posicionado para atingir esse papel (Êxodo 2:10, Hebreus 11:24-26). Ele liderou como porta-voz escolhido de Deus (Êxodo 7:1-2).

Moisés teve coragem

Moisés sabia o que era certo. Deus falou diretamente com ele (Êxodo 3:6) e disse-lhe o que ele precisava fazer - levar o povo de Israel para fora do Egito (Êxodo 3:7-8, 10, 14-17).

Moisés acreditava que ele seria recompensado por atender ao chamado de Deus. O escritor hebreu nos diz que considerou "tendo por maiores riquezas o opróbrio de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa" (Hebreus 11:26).

Finalmente, Moisés tomou coragem e colocou sua fé em ação. Ele confrontou Faraó e entregou a mensagem de Deus: "Deixa ir o Meu povo" (Êxodo 5:1). Estevão disse de Moisés: "Foi este que os conduziu para fora" da terra do Egito (Atos 7:36).

Aplicação para nós

Embora possamos não liderar o povo de Deus para longe de um governante opressor e para uma terra que mana leite e mel, há aplicações a serem feitas a partir do exemplo de Moisés.

Primeiro, devemos estar dispostos a fazer coisas que talvez não estejamos à vontade. Antes que Jesus realizasse seu primeiro milagre em uma festa de casamento em Caná, sua mãe disse aos servos: "Tudo quanto Ele vos disser, fazei" (João 2:5). Precisamos seguir esta mesma instrução. Devemos fazer o que quer que seja - não apenas com o que nos sentimos confortáveis ​​- o Senhor nos instrui a fazer em Sua Palavra (Mateus 28:18-20, Hebreus 5:9).

Segundo, devemos ser capazes de resistir à oposição. Paulo advertiu os anciãos de Éfeso que a oposição à verdade pode vir de duas direções. Pode haver "lobos selvagens" que "entrarão no meio de entre vós" (Atos 20:29). Também pode haver homens "entre vós mesmos" que tentarão afastar os cristãos da verdade (Atos 20:30). Estar entre os irmãos não é justificação para que baixemos a guarda. Devemos estar prontos para enfrentar a oposição de onde quer que venha.

Em terceiro lugar, devemos tentar liderar e influenciar as pessoas, mesmo que elas não queiram seguir. Jesus foi "a Luz que veio ao mundo", mas muitos se recusaram a "ir à Luz por temor de que [seus] feitos fossem expostos" (João 3:19-20). Nós também "resplandecemos como luminares no mundo" (Filipenses 2:15, ver Mateus 5:14-16). Por isso, muitos se oporão a nós como fizeram com Moisés e Jesus (João 15:18-19).

Em quarto lugar, devemos promover a liberdade em Cristo sobre a dependência dos inimigos de Cristo. Jesus nos oferece liberdade (João 8:31-32; 2 Coríntios 3:17). Mas, assim como a liberdade proclamada por Moisés exigia uma forte fé em Deus e um senso de responsabilidade pessoal, proclamar a liberdade em Cristo exige hoje a mesma fé em Deus e Sua recompensa (Hebreus 6:11-12) e responsabilidade pessoal pela nossa salvação (Filipenses 2:12).

Em quinto lugar, devemos liderar como Deus quer que lideremos. Não podemos tentar forçar as pessoas a obedecer como um governante perverso como faraó. Devemos liderar os outros através de palavras (1 Pedro 4:11), ações (1 Pedro 2:12) e cumprindo qualquer papel de liderança divinamente aprovado que possamos ocupar (Romanos 12:8).

Conclusão

Moisés tinha muitas desculpas para não tirar os filhos de Israel do Egito. No entanto, ele provou ser um homem de coragem, realizando a tarefa difícil de liderar um povo relutante para longe da escravidão de um tirano sem Deus. Embora possamos não ter um fardo de liderança tão grande como Moisés, todos nós temos a oportunidade de liderar as pessoas de uma forma ou de outra - seja por meio de uma posição de liderança oficial ou pela influência que exercemos sobre aqueles que nos rodeiam. Pode ser tentador apresentar desculpas como Moisés fez. Mas vamos ter coragem e liderar de uma maneira que seja agradável a Deus.

Você deseja ser um pregador? Preparar seus próprios sermões? Tenho uma grande novidade para você!

Kit Curso Pregador Completo! Como preparar sermões e pregar a Bíblia! Conheça as ferramentas e técnicas para se tornar um exímio pregador e um orador eficaz!

Se você deseja um curso prático para se tornar um grande Pregador, terá à disposição um excelente material! Clique Aqui para adquirir seu kit.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.