Header Ads

A Aplicação da Sabedoria: Justiça

A Aplicação da Sabedoria: Justiça
A sabedoria diz: "Ando pelo caminho da retidão, no meio das veredas da justiça" (8:20). Portanto, aqueles que seguem a sabedoria aprenderão a apreciar e praticar a justiça. Em contraste, Salomão diz: "Os homens maus não entendem a justiça..." (28:5).

Se quisermos ser sábios, então, ao contrário dos homens maus, precisamos "entender a justiça".

Lidando Justamente com Outros

A aplicação mais básica e comum da justiça é que lidamos justamente com os outros. Várias passagens em Provérbios falam disso.
"Os pensamentos do justo são retos; mas os conselhos do ímpio são falsos" (12:5).
Para alguém realmente tratar justamente com os outros requer um senso de justiça que não é superficial, mas que vem de seu coração como parte integrante de seu caráter. Lembrem-se do que Salomão diz: "Guarda com toda a diligência o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida" (4:23). Se quisermos lidar justamente com os outros, nossos pensamentos devem ser justos.
"A execução da justiça é motivo de alegria para o justo; mas é espanto para os que praticam a iniquidade" (21:15).
Os que são justos se regozijarão quando a justiça for realizada. Em contraste, este mesmo exercício de justiça será um "espanto" ou "destruição" para aqueles que praticam a iniquidade. Por quê? É justo que o pecado seja punido e que a justiça seja recompensada.
"O justo toma conhecimento da causa dos pobres; mas o ímpio não tem entendimento para a conhecer" (29:7).
A frase "causa dos pobres" refere-se à aplicação da justiça - que os pobres serão tratados com justiça. Muitas vezes, aqueles que são ricos são capazes de manipular o sistema de justiça para sua vantagem (ver 17:23). Mas Salomão é claro: "Não é bom ter respeito à pessoa do ímpio, nem privar o justo do seu direito" (18:5, 24:23; 28:21). Para que a justiça seja realizada, os ricos não devem ter vantagem sobre os pobres. No entanto, os pobres também não devem receber tratamento especial, pois isso também é uma perversão da justiça. A Lei de Moisés era clara sobre isso. Depois de dizer ao povo que não "perverta a justiça", Deus acrescenta: "nem serás parcial com o pobre na sua disputa" (Êxodo 23:2-3). Para que a justiça seja executada, todos os homens devem ser tratados imparcialmente como iguais.
"Não removas os limites antigos que teus pais fixaram" (22:28).
"Não removas os limites antigos; nem entres nos campos dos órfãos, porque o seu redentor é forte; ele lhes pleiteará a causa contra ti" (23:10-11).
Os irmãos têm frequentemente usado a proibição de mover esses antigos marcos para afirmar que não devemos tentar mudar o que Deus nos revelou. Este é certamente um aviso importante. Mas essas passagens, ao invés de conter advertências sobre nossa necessidade de nos aferrar às instruções que Deus nos revelou, são sobre lidar justamente com os outros. O "limite antigo" teria sido um marcador para indicar a fronteira da propriedade de alguém. Quando se movia esses marcadores, ele estava essencialmente roubando terra de seu vizinho. Tal roubo era obviamente condenado (Êxodo 20:15). Mas o sábio tem uma circunstância específica em mente na segunda passagem acima: mover os limites para tomar a terra do "órfão". Esses órfãos não teriam ninguém para defende-los. Também é provável que eles nem sequer soubessem que a terra estava sendo tirada deles. O ponto é então que nós não devemos tirar proveito de outros, mesmo aqueles que são impotentes para nos parar ou que são inconscientes da injustiça que está sendo feita a eles.
"A balança enganosa é abominação para o Senhor; mas o peso justo é o seu prazer" (11:1).
Salomão ensina-nos aqui que devemos lidar justamente em nossas transações comerciais. "O peso fraudulento e a medida falsa são abominação ao Senhor, tanto uma como outra coisa" (20:10, ver 20:23). Por quê? Estes diferentes pesos e medidas tornam possível para o indivíduo cobrar o mesmo preço por um menor peso de grãos (ou qualquer outra coisa que esteja sendo vendida). Tal como acontece com o movimento dos limites antigos, pode ser possível usar pesos diferentes ou uma escala falsa e não ser pego por aqueles que estamos enganando. Mas isso não importa. Deus sabe. Aqueles que enganam os outros são uma abominação para Ele. Aqueles que tratam justamente são Seu deleite.
"O que primeiro começa o seu pleito parece justo; até que vem o outro e o examina. A sorte faz cessar os pleitos, e decide entre os poderosos" (18:17-18).
O primeiro versículo nos adverte contra a pressa de julgamento antes de ter todos os fatos e ouvir os dois lados. O "a sorte" é um símbolo de julgamento imparcial porque o resultado final não é afetado pela vontade do homem. Tal julgamento imparcial é capaz de acabar com as disputas e decidir entre os poderosos. Nosso exercício da justiça não deve basear-se na vontade humana ou em informações parciais, mas em um exame honesto de todos os fatos conhecidos à luz da verdade.
"O ímpio recebe do regaço a peita, para perverter as veredas da justiça" (17:23).
No início deste ponto sobre justiça, notamos esta declaração de Salomão: "Os homens maus não entendem a justiça" (28:5). Porque eles não entendem a justiça e o valor dela, eles estão dispostos a receber subornos a fim de "perverter os caminhos da justiça". Os homens ímpios valorizam coisas materiais sobre o que é justo e reto. Aqueles que são justos valorizarão a justiça sobre as riquezas.
"A testemunha vil escarnece da justiça; e a boca dos ímpios engole a iniquidade" (19:28).
Um testemunho "vil" ou "ímpio" é aquele que não fala a verdade, ao contrário de uma "testemunha confiável [que] não mentirá" (14:5). Uma testemunha mentirosa "escarnece da justiça", porque a justiça é impossível sem a verdade.
"A violência dos ímpios arrebatá-los-á, porquanto recusam praticar a justiça" (21:7).
Quando a justiça não é realizada, há consequências negativas. Aqueles que cometem violência (roubo) estão lidando injustamente com os outros. Porque eles se recusam a tratar os outros como eles deveriam ser tratados, eles acabarão por sofrer por si mesmos, seja nesta vida quando seu semelhante executa justiça contra eles ou depois desta vida após comparecerem no tribunal de Deus.
"Abundância de mantimento há, na lavoura do pobre; mas se perde por falta de juízo" (13:23).
A "lavoura" dos pobres é a terra que ele é capaz de cultivar para prover para si mesmo. Por Sua providência, Deus providenciou abundantes bênçãos ao homem que pode ser obtido trabalhando duro e exercitando sabedoria. Mas quando se trata injustamente com o pobre, tirando sua terra ou sua capacidade de cultivá-la, está roubando-lhe as bênçãos que ele poderia ter recebido pela providência de Deus. Se deixarmos de praticar a justiça com nossos semelhantes, estaremos no caminho deles de receber bênçãos divinas.

Deus vai lidar justamente conosco

Uma das razões pelas quais é tão importante lidar justamente com os outros é porque Deus tratará justamente conosco.
"O peso e a balança justos são do Senhor; obra sua são todos os pesos da bolsa" (16:11).
Deus é perfeitamente justo e imparcial. Sua balança e pesos são justos. O ponto é que tudo o que é justo e reto é de Deus. Portanto, em qualquer transação que Ele tenha com o homem - seja revelando Sua vontade ou julgando-nos no final - Deus será imparcial no julgamento.
"A testemunha falsa não ficará impune; e o que profere mentiras não escapará" (19:5).
Aqueles que são falsas testemunhas são culpados de duas ofensas. Primeiro, e mais obviamente, eles mentirem. Segundo, ao testificar falsamente sobre ou contra os outros, eles estão impedindo que outros recebam o justo tratamento dos homens (19:28). Não é de admirar então que Deus puna aqueles que oferecem testemunho falso.
"O pobre e o opressor se encontram; o Senhor alumia os olhos de ambos" (29:13).
Ambos os homens - o pobre e aquele que o oprime - estão sujeitos ao julgamento divino. A frase "o Senhor alumia os olhos de ambos", significa que Deus fornece a vida e a capacidade de compreender a verdade (e com a compreensão da verdade vem uma compreensão da justiça) para ambos os homens. O opressor não tem desculpa para tratar os outros da maneira que ele trata. Deus, como seu Criador, o responsabilizará.

Tem dificuldade para entender a Biblia? Olha a novidade que tenho para você!

Um excelente método sobre como ler a Bíblia e entendê-la mais facilmente! Descubra como ser um grande leitor da Bíblia Sagrada sem ser um teólogo profissional

Se você deseja ler e enteder a Biblia, ainda hoje, terá à disposição um excelente material! Clique Aqui para adquirir seu ebook.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.