Header Ads

O casamento é eterno?

O casamento é eterno?
O casamento é eterno e vai existir no céu?

O primeiro casamento

Quando Deus criou os céus e a terra e declarou "que era muito bom" (Gênesis 1:31), tudo estava em um estado de perfeição. A morte ainda não tinha entrado na história humana e talvez até mesmo as criaturas que Ele criou, talvez poderia ter a vida eterna, mas apenas uma coisa não estava bem; o homem estava sozinho. Deus "Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou" (Gênesis 1:27), mas Adão precisava de alguém, como todos nós, porque somos criados para o relacionamento, por isso "o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre o homem, e este adormeceu; tomou-lhe, então, uma das costelas, e fechou a carne em seu lugar; e da costela que o senhor Deus lhe tomara, formou a mulher e a trouxe ao homem" (Gênesis 2:20-21). Tudo o que Adão podia dizer foi "Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada" (Gênesis 2:23). Como resultado, Deus uniu o homem e a mulher, "Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne. E ambos estavam nus, o homem e sua mulher; e não se envergonhavam" (Gênesis 2:24-25). Claro que a queda acabaria por acontecer e o paraíso estaria perdido ... pelo menos por vários milhares de anos.

Deixar e unir

Há algumas palavras importantes que descrevem a união de Adão e Eva. Uma delas era que o homem deveria deixar seu pai e sua mãe, e uma vez que Adão e Eva não tinham pais, sabemos que Deus estava dizendo que os dois deveriam deixar as suas próprias famílias para criar uma nova família, e isso significava, deixar suas famílias fora de seus assuntos conjugais. Infelizmente, muitos divórcios são o resultado da interferência dos sogros. Os pais do casal estavam em vigor, ordenados a ficar de fora da união do novo casal para que eles não criassem problemas. Outra palavra-chave era que o homem deveria "se unir a sua mulher" e os dois se tornariam uma só carne, ou uma nova família. A palavra "unir-se-á" é na verdade uma palavra do hebraico (dabaq), que significa "colar-se ou prender-se a algo/alguém" como se ambos fossem colados permanentemente. E tornar-se "uma" só carne é melhor compreendido se vemos o que a palavra hebraica para "um" ("echad") significa, "um em número," portanto, eles não são mais dois, no sentido de que eles agora se tornaram um em propósito, união e destino. Deus uniu o primeiro casal e Ele pretendia que fosse para sempre, pelo menos até que a morte pudesse separá-los.

Jesus sobre o casamento

Sobre a questão do casamento, "Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio homem e mulher, e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne?" (Mateus 19:3-5)? Jesus também disse que "já não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem" (Mateus 19:6). Assim, a ideia do casamento é que o que Deus uniu, Ele pretende que permaneçam juntos. A palavra grega que Jesus usou para "juntou" significa literalmente "prender a um jugo", como você faria ao juntar dois bois em um jugo. Como tal, eles transportam a carga em conjunto e trabalham na mesma direção e com a mesma finalidade. Isso significa que eles não são dois mais, mas agora "uma só carne". O divórcio entre os judeus do primeiro século era tão comum que muitos dos homens tinham várias esposas em suas vidas, e eles se divorciavam de suas esposas por pequenas coisas simples, como queimar a comida ou dizer a coisa errada em público. É por isso que Jesus lhes advertiu que "qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e casar com outra, comete adultério; [e o que casar com a repudiada também comete adultério]" (Mateus 19:9). Os fariseus já sabiam disso, mas eles só estavam tentando experimentar Jesus (Mateus 19:3). Eles realmente não se preocupavam com o divórcio e novo casamento. Eles só queriam fazer Jesus dizer a coisa errada, mas ele disse exatamente o que era verdadeiro ao citar Gênesis. Eles deveriam permanecer casados para sempre, pelo menos até que um deles morresse.

Nenhum casamento no céu

Em seguida, os saduceus para testar Jesus para fazê-lo tropeçar, também lhe perguntaram sobre o casamento: "Mestre, Moisés disse: Se morrer alguém, não tendo filhos, seu irmão casará com a mulher dele, e suscitará descendência a seu irmão. Ora, havia entre nós sete irmãos: o primeiro, tendo casado, morreu: e, não tendo descendência, deixou sua mulher a seu irmão" (Mateus 22:24-25) assim que lhe perguntaram "de qual dos sete será ela esposa, pois todos a tiveram?" (Mateus 22:28). O interessante é que os saduceus nem sequer acreditavam na vida após a morte, milagres ou eternidade, por isso Jesus os corrige, dizendo: "Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus; pois na ressurreição nem se casam nem se dão em casamento; mas serão como os anjos no céu" (Mateus 22:29-30). O casamento não é eterno no sentido de que depois que um crente morre ele permanece casado no céu, em vez disso, eles são como os anjos no sentido de que eles já não se casam ou se dão em casamento. O casamento é até que a morte os separe aqui na terra, mas no céu, a relação conjugal cessará. Isso não significa que os maridos e as esposas não terão um relacionamento no reino, mas eles terão um relacionamento diferente no reino, e eles já não estão ligados um ao outro para a vida. O relacionamento deles nunca vai terminar, mas certamente vai mudar.

Conclusão

Deus é o criador do casamento e ele pretendia que fosse para sempre, pelo menos nesta vida. É somente em caso de adultério sem arrependimento e contínuo que um homem ou mulher é liberado de seu acordo matrimonial. Uma pessoa, cujo cônjuge cometeu adultério e se recusou a arrepender-se e parar, está livre para se divorciar e casar de novo, contudo a pessoa a se casar deve estar na mesma situação ou nunca ter casado. Claro, há exceções, como quando o abuso físico ocorre. O cônjuge abusado deve deixar para a sua própria segurança pessoal e proteção. Deus não esperaria que um cônjuge permanecesse casado, se ele está sendo abusado fisicamente. O mesmo vale para todas as crianças em casa que são sexualmente ou fisicamente abusadas. O cônjuge não-infrator deve levar as crianças para outro local seguro, e o agressor deve ser denunciado à polícia e enfrentar a pena da lei. A única coisa que é eterna para os crentes que estão casados é a vida eterna, e é só para aqueles que confiam em Cristo. Todas as demais coisas passarão, mas os filhos de Deus, permanecerão.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.