Header Ads

A apreciação da sabedoria: O valor e as recompensas da sabedoria

A apreciação da sabedoria: O valor e as recompensas da sabedoria
Já consideramos passagens discutindo o apelo da sabedoria, chamando-nos para obter instrução e discernimento necessário para adquirir sabedoria. Mas por que deveríamos responder este chamado? Há muitos convites que são feitos e que são ignorados por aqueles que são convidados. Por que devemos ouvir o apelo da sabedoria? É por causa do grande valor da sabedoria, as recompensas que vêm de seguir a sabedoria, e os perigos que enfrentamos quando rejeitamos a sabedoria.

Tudo isso é apontado para nós no livro de Provérbios. Quando Deus oferece Sua sabedoria que estava com ele desde o princípio (8:22), Ele não espera que nós a aceitamos sem nos explicar por que devemos aceitá-la. Por isso, vamos considerar as razões pelas quais devemos apreciar a sabedoria por isso vamos ouvir o apelo da sabedoria.

O valor da sabedoria

A primeira razão pela qual devemos apreciar a sabedoria é o valor inerente da sabedoria. Mas antes de considerarmos o valor da sabedoria, devemos começar com o ponto de partida para a prossecução da sabedoria - a verdade.

"Compra a verdade, e não a vendas; sim, a sabedoria, a disciplina, e o entendimento" (23:23).

Devemos, primeiramente, reconhecer que a verdade é mais valiosa do que qualquer coisa de natureza material que se pode comprar ou vender. Não devemos entender a verdade no sentido de algo subjetivo que vai mudar de uma pessoa, tempo, região, ou de uma circunstância para outra. A verdade é o padrão objetivo revelada por Deus. É a palavra de Deus (Salmo 119:160; João 17:17).

Verdade - a palavra revelada de Deus - é o ponto de partida que leva à sabedoria. O homem sábio também menciona instrução e entendimento como vindo da verdade. Isto diz-nos três coisas sobre a verdade (a Palavra de Deus):
  1. Ela leva a sabedoria divina.
  2. É a base para toda a instrução em assuntos que dizem respeito a Deus.
  3. Pode ser compreendida.
Aqueles que procuram sabedoria além da verdade da palavra de Deus estão procurando o tipo errado de sabedoria. Aqueles que usam um padrão de autoridade que não seja a verdade da palavra de Deus para suas práticas religiosas e doutrinas estão em erro. Aqueles que acreditam que a verdade da palavra de Deus não pode ser entendida, estão enganados.

A verdade conduz a instrução. A instrução leva ao entendimento. Então entendimento leva à sabedoria. Quando o homem produz um produto a ser vendido, o valor justo de mercado sempre vale mais do que a soma total das matérias-primas utilizadas para fazê-lo. Verdade - a Palavra de Deus - é valiosa. O salmista descreveu as palavras de Deus como sendo "Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o que goteja dos favos" (Salmo 19:10). Muito mais valiosa é a sabedoria que vem de uma compreensão adequada e da prática da verdade. As seguintes passagens nos ajudam a entender quão valiosa é a sabedoria que vem de cima.

"Aceitai antes a minha correção, e não a prata; e o conhecimento, antes do que o ouro escolhido. Porque melhor é a sabedoria do que as joias; e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela" (8:10-11).

"Melhor é o meu fruto do que o ouro, sim, do que o ouro refinado; e a minha renda melhor do que a prata escolhida. Ando pelo caminho da retidão, no meio das veredas da justiça" (8:18-19).

"Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! e quanto mais excelente é escolher o entendimento do que a prata!" (16:16).

Nas duas primeiras passagens a sabedoria está falando, e na terceira contém uma declaração do homem sábio sobre a sabedoria. O ponto é claro: a sabedoria é muito mais valiosa do que quaisquer riquezas deste mundo. Ao longo da história, ouro, prata e joias têm tido um grande valor a eles associados. É natural, então, ver estes como tendo grande valor. Mas não importa o quão importante estes são, eles "não podem se comparar" com a sabedoria divina. Se quisermos adquirir sabedoria, devemos valorizá-la tão altamente que não deixaremos nem mesmo o ouro, prata ou joias nos distrair da nossa busca por ela.

As recompensas da sabedoria

A sabedoria não é valiosa, simplesmente porque ela foi arbitrariamente declarada valiosa. É valiosa por causa das recompensas que vêm ao segui-la.

"Feliz é o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire entendimento; pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as joias, e nada do que possas desejar é comparável a ela. Longevidade de dias há na sua mão direita; na sua esquerda riquezas e honra. Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas são paz. É árvore da vida para os que dela lançam mão, e bem-aventurado é todo aquele que a retém. O Senhor pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu o céu. Pelo seu conhecimento se fendem os abismos, e as nuvens destilam o orvalho. Filho meu, não se apartem estas coisas dos teus olhos: guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso; assim serão elas vida para a tua alma, e adorno para o teu pescoço. Então andarás seguro pelo teu caminho, e não tropeçará o teu pé. Quando te deitares, não temerás; sim, tu te deitarás e o teu sono será suave. Não temas o pavor repentino, nem a assolação dos ímpios quando vier. Porque o Senhor será a tua confiança, e guardará os teus pés de serem presos" (3:13-26).

Aquele que acha sabedoria e adquire entendimento é abençoado (3:13). Mas como assim? O homem sábio explica como a sabedoria faz com que a pessoa seja abençoada.

"pois melhor é o lucro que ela dá do que o lucro da prata, e a sua renda do que o ouro. Mais preciosa é do que as joias, e nada do que possas desejar é comparável a ela" (3:14-15). Como já observamos, a sabedoria é de muito maior valor do que as coisas materiais dessa vida. De todas as coisas que poderíamos desejar, a sabedoria se revela muito mais valiosa como um investimento a longo prazo. Em outros lugares, em contrastar o sábio e o insensato, o homem sábio escreve: "Do fruto das suas palavras o homem se farta de bem; e das obras das suas mãos se lhe retribui" (12:14). Nós estaremos satisfeitos quando nos aplicarmos à aquisição da sabedoria e colher os seus frutos. Portanto, devemos persegui-la.

"A ira do insensato logo se revela; mas o prudente encobre a afronta" (3:16). Um dos benefícios da sabedoria, em geral, é vida longa, já que nossas vidas não são abreviadas por conta de escolhas e atividades tolas. Quando buscamos as coisas que levam à sabedoria - a justiça, a humildade e o temor do Senhor - encontramos "riquezas, e honra e vida”. (22:4; 21:21). Alguns capítulos depois, a sabedoria diz: "Porque por mim se multiplicam os teus dias, e anos de vida se te acrescentarão" (9:11). Riquezas e honra são também muitas vezes subprodutos da aquisição e aplicação da sabedoria. A sabedoria diz que vai "dotar de bens permanentes os que me amam, e enchendo os seus tesouros”. (8:21; 24:3-4).

"Os seus caminhos são caminhos de delícias, e todas as suas veredas são paz" (3:17). Seguir após a sabedoria leva a caminhos agradáveis e tranquilos para a vida. Mais tarde, Salomão escreve: "Para o sábio o caminho da vida é para cima, a fim de que ele se desvie do Seol que é em baixo" (15:24). Para cima, está na direção do céu e da morada de Deus. Portanto, a sabedoria que vem do alto nos mostra o caminho para chegar a Deus no céu.

"É árvore da vida para os que dela lançam mão, e bem-aventurado é todo aquele que a retém" (3:18). No princípio, o acesso do homem à árvore da vida foi perdido por causa do pecado (Gênesis 3:22-24). A sabedoria é agora "a árvore da vida" para aqueles que seguem após ela, porque, como notamos no verso anterior, a sabedoria divina nos leva de volta para o céu, onde a árvore da vida (a vida eterna) pode ser encontrada (Apocalipse 22:2). Em outros lugares, o homem sábio escreve: "O fruto do justo é árvore de vida" (11:30). Aquilo que é produzido por uma vida de justiça, guiado pela sabedoria que vem do alto, é a vida eterna.

"O Senhor pela sabedoria fundou a terra; pelo entendimento estabeleceu o céu. Pelo seu conhecimento se fendem os abismos, e as nuvens destilam o orvalho" (3:19-20). Isto reflete o ponto que foi abordado no estudo intitulado A Natureza intemporal da Sabedoria. A sabedoria existia com Deus desde antes da Criação e foi usada por Ele na criação dos céus e da terra (8:22-29).

"Filho meu, não se apartem estas coisas dos teus olhos: guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso" (3:21). Os apelos do pai para seu filho são para guardar a sabedoria divina e a compreensão. Não é suficiente que o seu filho apenas ouça e aprenda, ele também precisa guardar o que ele aprendeu.

"assim serão elas vida para a tua alma, e adorno para o teu pescoço" (3:22). O pai está incentivando o seu filho a ser revestido com sabedoria e discrição. Estes ensinamentos devem ser "uma grinalda de graça para a tua cabeça, e colares para o teu pescoço" (1:9). Ao falar da sabedoria, o pai diz a seu filho: "Estima-a, e ela te exaltará; se a abraçares, ela te honrará. Ela dará à tua cabeça uma grinalda de graça; e uma coroa de glória te entregará" (4:8-9). Quando a pessoa se veste com sabedoria e discrição, ele obtém vida para a sua alma (12:28).

"Então andarás seguro pelo teu caminho, e não tropeçará o teu pé” (3:23). Um dos benefícios da sabedoria é a segurança e a estabilidade que se desfruta na vida, em oposição à vida volátil e incerta de alguém que rejeita a sabedoria divina. "Quem anda em integridade anda seguro; mas o que perverte os seus caminhos será conhecido" (10:9).

"Quando te deitares, não temerás; sim, tu te deitarás e o teu sono será suave" (3:24). Esse versículo menciona dois benefícios da sabedoria. Em primeiro lugar, a sabedoria oferece segurança [ver verso anterior]. Em segundo lugar, seguir após a sabedoria divina permite que se tenha uma boa consciência, tornando assim seu sono doce.

"Não temas o pavor repentino, nem a assolação dos ímpios quando vier. Porque o Senhor será a tua confiança, e guardará os teus pés de serem presos" (3:25-26). Mesmo que estejamos andando de acordo com a sabedoria de Deus, haverá inimigos se levantando. No entanto, se seguirmos a sabedoria, devemos ter coragem. Há uma força na sabedoria. "O sábio é mais poderoso do que o forte; e o inteligente do que o que possui a força" (24:5). "O sábio escala a cidade dos valentes, e derriba a fortaleza em que ela confia" (21:22). Por que há tanta força na sabedoria? É porque essa sabedoria vem do Senhor. Ele é a nossa confiança. Enquanto nós estivermos com Ele, podemos ter a certeza do triunfo.

"Pois a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será aprazível à tua alma; o bom siso te protegerá, e o discernimento e guardará; para te livrar do mau caminho, e do homem que diz coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas; que se alegram de fazer o mal, e se deleitam nas perversidades dos maus; dos que são tortuosos nas suas veredas; e iníquos nas suas carreiras; e para te livrar da mulher estranha, da estrangeira que lisonjeia com suas palavras; a qual abandona o companheiro da sua mocidade e se esquece do concerto do seu Deus; pois a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para as sombras. Nenhum dos que se dirigirem a ela, tornara a sair, nem retomará as veredas da vida. Assim andarás pelo caminho dos bons, e guardarás as veredas dos justos. Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Mas os ímpios serão exterminados da terra, e dela os aleivosos serão desarraigados" (2:10-22).

A sabedoria não só nos proporciona bênçãos por segui-la, mas também nos livra do mal. Isto é, naturalmente, se guardarmos a sabedoria. Pouco antes da passagem acima, o homem sábio diz: "ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; e escudo para os que caminham em integridade" (2:7). A proteção que vem com a sabedoria só pode ser alcançada se a buscarmos. Então, estes versos que falam sobre a sabedoria nos livrar do mal presume que primeiro nós a adquirimos. Vamos discutir a aquisição da sabedoria no final do estudo. Mas compreender estes benefícios da sabedoria nos mostra por que devemos trabalhar para adquiri-la.

"Pois a sabedoria entrará no teu coração, e o conhecimento será aprazível à tua alma; o bom siso te protegerá, e o discernimento e guardará" (2:10-11). Um conhecimento superficial das instruções dos sábios não vai nos livrar de nada. A sabedoria deve entrar em nossos corações e almas se quisermos que ela guarde e cuide de nós. Portanto, devemos estar "atentos a sabedoria" (2:2) e guardá-la em nosso ser mais íntimo. Só então podemos esperar que sabedoria nos livre do mal e nos impeça de fazer coisas que podemos nos arrepender mais tarde.

"para te livrar do mau caminho, e do homem que diz coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos das trevas; que se alegram de fazer o mal, e se deleitam nas perversidades dos maus; dos que são tortuosos nas suas veredas; e iníquos nas suas carreiras" (2:12-15). Ao livrar-nos "do mau caminho", a sabedoria é projetada para nos proteger da influência daqueles que nos levariam no "caminho do mal". O primeiro deles que o homem sábio menciona é "o homem que diz coisas perversas". Este é o homem que tenta nos levar ao pecado através do falso ensino, mentiras ou ataques verbais. Em segundo lugar, somos advertidos sobre "aqueles que deixam as veredas da retidão". Eles têm prazer em fazer o mal e sinuosamente tentam levar outros a segui-los. Não devemos segui-los ou ser vítima deles.

"e para te livrar da mulher estranha, da estrangeira que lisonjeia com suas palavras; a qual abandona o companheiro da sua mocidade e se esquece do concerto do seu Deus; pois a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para as sombras. Nenhum dos que se dirigirem a ela, tornara a sair, nem retomará as veredas da vida" (2:16-19). A sabedoria também ajuda a livrar-nos dos perigos da "mulher estranha", ou a "adúltera". Muito mais atenção é dada a ela mais tarde no livro de Provérbios (5:1-14; 6:24-35; 7:1-27; 9:13-18); e nós vamos considerá-la mais em uma parte diferente do nosso estudo. Mas nos é dito aqui que, seguindo a sabedoria, podemos evitar a ruína e a condenação que vem de seguir a adúltera.

"Assim andarás pelo caminho dos bons, e guardarás as veredas dos justos" (2:20). Se evitarmos o "mau caminho" (2:12) e aqueles que nos levariam por esse caminho, naturalmente, devemos "andar no caminho dos bons". Vamos estar em companhia de um grupo de pessoas - ou os justos ou ímpios. A sabedoria e a justiça são inseparáveis um do outro. A medida que a sabedoria nos livra do mal, ela nos conduz nos "caminhos dos justos".

"Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Mas os ímpios serão exterminados da terra, e dela os aleivosos serão desarraigados" (2:21-22). O homem sábio nos lembra no final desta seção das bênçãos e os castigos de Deus. Aqueles que através das instruções da sabedoria viverem retamente serão abençoados. Aqueles que rejeitarem a sabedoria e perseguir a maldade serão desarraigados.

"Onde não há profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é bem-aventurado" (29:18).

A visão de que o homem sábio se refere é a revelação que vem de cima, instruindo-nos a sabedoria divina. Sem as instruções de Deus, o homem é "sem restrições". Sem o padrão de Deus, não existe nenhum padrão real para o homem seguir. Enquanto muitos acreditam tolamente que a ausência de um padrão divino é desejável, seguir o "caminho que ao homem parece direito" só leva a "morte" (14:12; 16:25). O homem é feliz, ou abençoado, se ele "guardar a lei", que foi entregue pela revelação divina. Buscar a sabedoria de Deus é para o nosso benefício. Portanto, devemos confiar em Deus e não em nós mesmos e segui-Lo em todas as coisas.

"Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal. Isso será saúde para a tua carne; e refrigério para os teus ossos" (3:5-8).

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.